INTERNACIONAL

Seminário reuniu pesquisadores brasileiros e franceses no auditório Joaquim Nabuco. Iniciativa visa amadurecer convênios e firmar intercâmbios

 

Foto: Júlio Minasi/Secom UnB

 

A Universidade de Brasília recebeu, entre os dias 13 e 15 de abril, o seminário A Efetividade do Direito em Face do Poder dos Gigantes da Internet. O evento, realizado na Faculdade de Direito (FD), contou com palestras e debates com a participação de professores e pesquisadores da UnB e de outras universidades brasileiras e francesas.

 

“É muito importante que a Universidade de Brasília protagonize eventos desse tipo. Eles nos dão oportunidade de ampliar os nossos intercâmbios culturais e científicos com colegas e pesquisadores de alto nível de outros países”, relata o professor da FD, Alexandre Veronese.

 

Sob a ótica dos indivíduos perante o poder das grandes empresas da internet, foram debatidos temas como direito privado e liberdade de expressão na rede, direitos dos usuários na internet e proteção e uso de dados pessoais em ambiente virtual.

 

Organizador do seminário, Veronese é pesquisador do Grupo de Estudos em Direito das Telecomunicações da Universidade de Brasília (Getel/UnB), com a linha de pesquisa Transformações na Ordem Social e Econômica e Regulação. Para ele, o assunto debatido é de grande relevância para o desenvolvimento da pós-graduação em Direito. “É um dos melhores programas do país. Para nós, é algo muito importante, principalmente para que se institucionalize o debate sobre direito, telecomunicações e internet”, relata.

 

O evento promovido pela Faculdade de Direito teve a parceria e a participação de professores e pesquisadores da Universidade Federal Fluminense (UFF) do Rio de Janeiro, e das instituições francesas Université de Paris I Panthéon-Sorbonne, da Université de Paris V DescarteseUniversité de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines. Contou também com apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) e da Fundação de Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Segundo Veronese, a ideia é amadurecer convênios e firmar intercâmbios entre as instituições.